A Capa


Curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" é proibido no Acre, confundido com kit anti-homofobia

Por Lufe Steffen em 08/06/2011 às 18h32

Curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" é proibido no Acre, confundido com kit anti-homofobia

Seria cômico se não fosse trágico. Mais uma vez o governo, autoridades políticas e pseudoautoridades religiosas atacam com seu conservadorismo burro, sua ignorância desmedida e sua hipocrisia, a serviço de motivos escusos que permanecem secretos para nós, meros mortais.

Vamos do começo: o curta-metragem "Eu Não Quero Voltar Sozinho", dirigido pelo cineasta paulistano Daniel Ribeiro, é um filme de rara delicadeza, extremamente sensível, realizado com competência técnica e cuidado artístico inquestionáveis.

Desde 2010, o filme vem sendo exibido e fartamente premiado em festivais e mostras de cinema no Brasil e no exterior. O curta conta a história de Léo, um menino de 15 anos, cego, que se apaixona por um colega de classe.

Como prova de sua qualidade e de seu cuidado ao lidar com dois temas ainda tabu - homossexualidade na adolescência e deficiência visual -, o filme foi incluído no programa Cine Educação, em parceria com a Mostra Latino-Americana de Cinema e Direitos Humanos.

O programa leva pacotes de curtas que englobem os direitos humanos, para que professores das redes de ensino do Brasil escolham os mais adequados - e estes serão exibidos em aula e debatidos com os alunos.

Eis que, na semana passada, uma professora no estado do Acre escolheu "Eu Não Quero Voltar Sozinho" e o exibiu a seus alunos. E aconteceu o episódio surrealista: alunos que viram o filme, demonstrando ignorância, falta de informação ou pura homofobia, "confundiram" o curta com o famoso kit anti-homofobia - que acaba de ser vetado, como sabemos, pela presidente Dilma Rousseff.

Esses alunos levaram o caso - adivinhe a quem? - para os líderes religiosos da região. Estes não perderam tempo e acionaram os políticos locais. Resultado: o projeto Cine Educação foi proibido como um todo no estado do Acre.

Ninguém parou para averiguar o caso e perceber que se tratava apenas de um curta-metragem, que nada tem a ver com o kit anti-homofobia. E pior: o programa Cine Educação foi inteiramente proibido, como se todos os curtas que compõem o projeto fossem sobre o mesmo tema.

Em carta distribuída à imprensa, os produtores do filme - Diana Almeida e o próprio Daniel Ribeiro - desabafam: "Mais uma vez no Brasil, a educação perde a batalha contra o poder assustador das bancadas religiosas e conservadoras."

Enquanto o Cine Educação está parado, secretários de educação e direitos humanos do Acre tentam, junto ao governador do Acre, liberar o programa e dar continuidade ao mesmo. E os tais líderes religiosos continuam fazendo pressão para o cancelamento definitivo do projeto.

"De forma arbitrária, em uma república federativa cuja Constituição atesta um Estado laico, a sociedade está sendo privada de promover debates. Como pretendemos que adolescentes consigam respeitar a diversidade e formem-se cidadãos lúcidos, pensantes e ativos se informação, arte e cultura (sem qualquer caráter doutrinário) lhes são negadas?", refletem Diana e Daniel.

E o Movimento Audiovisual Acreano Contra a Censura lançou também seu manifesto, em uma Carta de Repúdio, onde cita a Constituição Federal, denunciando o absurdo do veto.

Mas nem tudo está perdido. A boa notícia é que os produtores do curta foram selecionados pelo Edital da Eletrobrás e produzirão a versão em longa-metragem de "Eu Não Quero Voltar Sozinho", com a mesma história, mas ampliada e aprofundada, contendo novos personagens e novos debates. Touché!

Assista ao curta no YouTube:

Link

Comentários








Gustavo: Estamos falando do Acre, um lugarzinho assim, um verdadeiro fim de mundo, esperar algum bom senso e cultura das pessoas é inútil. Falo isso porque sou de uma cidade que é até razoavelmente grande e um dos principais centros econômicos, culturais blá blá blá etc e tal de Pernambuco, sendo a coisa mais próxima que temos por aqui da capital, Recife. Um lugar como minha cidade é do tipo em que existe muita gente ignorante ainda, mas uma grande parcela educada e com um olhar crítico interessante, mas se for ver nas cidades vizinhas, só o que se acha são pessoas pouco instruídas e analfabetos que enriqueceram e vivem em grandes fazendas por aí, em uma sociedade que parece até que voltou aos tempos do Coronelismo. Fazer o quê, né? Só resta ter paciência Primeira vez que comento aqui, Cindy, considero você uma diva inigualável, a primeira coisa que olho quando entro no site (quase que diariamente, quando volto do colégio) é se você tem alguma novidade para nós Sem querer desmerecer nenhum d

Gustavo: Lol, isso é que é gênio, na primeira vez que comenta aqui se embola todo e mistura os comentários! Huahusa, abafa o caso =x

Leandro: Eu fico impressionado como isso pode acontecer, mas infelizmente nem todos conseguem enxergar e entender uma realidade que o gay existe, não adianta ignorar, lutar ou fazer o que for, gay nunca vai acabar, assim como esse tipo de gente também não. Seria tão melhor se durante esse espaço de tempo que temos que "conviver" em sociedade se todos se respeitassem e vivessem suas vidas.

Alexander: Esse curta é um trabalho maravilhoso! Fico muito feliz que vai rolar um longa-metragem, vale a pena!

Cindy Butterfly: Oi Gustavo!!! Obrigada pelo carinho aí no seu comentário!!! Apesar desta não ser uma matéria minha, mas do Lufe, que é fofo e super crítico também e inteligentíssimo!!! Agora, falando da matéria... Se em São Paulo onde as pessoas se consideram "o supra sumo do país" a política é uma merda e os polítimos mais merda ainda... Imagine em lugares fora deste eixo "Rio-São Paulo" onde existe uma herança muito forte do coronelismo, por exemplo... Dá nisso mesmo!!!

Rodriguinho: Temos que dar um desconto aos acreanos, né gente?! A civilização ainda não chegou lá.

kamilla : nossa !! lindo esse curta, não entendo como podem proibir a exibição, não tem nada ofensivo nele!! sou hetero e eu estou totalmente chateada com essa proibição.... espero ansiosa pelo longa!!! =] (Brasil esta na hora de acorta!!!!) belisimo esse curta me apaixonei

Juliana: Curta liiiiindo, mal posso esperar pelo longa. Sensível, gostoso de assistir e inesquecível. Um dia esse tipo de coisa prevalecerá sobre a ignorância.

Fabio: Tenho esperança que o Brasil ainda possa mudar, mas este tipo de situação acaba por mostrar a realidade oposta, é completamente equivocado misturar política com religião. Fora a ignorância e o preconceito que envolve esse pensamento tão arcaico. As diferenças existem e sempre existiram, tá na hora de aprender a tratar com respeito isso.

Michael Ferreira: Assisti ao curta, por indicação de um amigo e simplesmente me apaixonei! O final ficou com gostinho de quero mais, sendo assim abordando casos como estes sobre homossexualidade na adolescencia e deficiência visual, passei também para que meus sobrinhos (total 9) também assistissem, além do pessoal onde trabalho. Ambos elogiaram e muito o curta. Mas lendo essa matéria só percebo o quão nosso país ainda é pré-maturo em relação à muitas coisas, só lamento uma cena como esta. Espero que logo essa situação modifique, que o governo não se "reprime" para religião, onde infelizmente vemos muuuitos mais casos de homossexualismo... Onde existem muitas pessoas medíocres e repugnantes. @Mi_Levine_

Laryssa: Lindo, lindo, lindo o curta! Vou aguardar o longa-metragem ansiosa. E não vou falar mal do Acre, porque eu vejo MUITO esse tipo de reação das pessoas aqui em São Paulo: as pessoas querem determinar o que é "certo ou errado", e não acho que seja esse o ponto. Somos todos seres 'humanos' e SENTIMENTO não dá pra discutir...

Gustavo: Eu que agradeço a você, Cindy! *-* Assisti ao curta e vou confessar que não é um gênero que me agrada, eu sempre acabo achando que algumas coisas são corridas demais e não prestam tanta atenção aos detalhes, mas esse aí é de uma beleza tão grande que não tem como não amar. Merecidíssimos os prêmios recebidos, isso mostra como é possível ver sensibilidade em um país tão atrasado como esse. Minha maior revolta é ver que uma produção como essa não está sendo divulgada em tudo quanto é lugar, nas emissoras, nas escolas e tudo mais, porque o que eu acabei de ver é algo que não acho no cinema e na televisão nacional há um bom tempo. Todos de parabéns, atores, diretores, autores. Espero que faça muito mais sucesso.

Felipe: É muito bonito esse curta,é delicado,sensível,não vejo a hora de assistir ele. Quem sabe um dia,sei lá,o Brasil não muda pra melhor,e vê que a homossexualidade não é um pecado.

Thiago Costa: Muito lindo o curta, super delicado, sensivél e retrata muita bem duas realidades da humanidade. Muito bom!!!!

Tiago : Muito show o modo como o cineastra trata ambos os assuntos sem vulgarizar as partes ainda mais por serem assuntos tão delicados como os abordados! Mantendo a inocência da juventude e realidade existentes nos dias atuais!

Becky: Poxa, que lindooooooooo esse curta!!!!!!!! Fiquei com gostinho de quero mais!!!!!!!!! Poderia virar uma série...

paulo: Esses fanáticos religiosos não tem o que fazer...querem alienar o mundo com a aua ignorância... revivemos hj o periodo de trevas da idade média....

Jean: Caros, podemos comentar sem retaliar para com o Acre, um estado maravilhoso, cheio de brasileiros especiais que nem sempre compactuam com o que a política decide. Comentários inteligentes não pretendem aumentar o preconceito e sim, extirpa-lo... Felicidades a todos!

@turfak: Penso assim, esses lideres religiosos tem medo de que isso seja mostrado, porque aqueles que são viriam que isso é comum na sociedade mais é ocultado pelos meios de comunicação , fazendo assim eles se auto assumissem como são,e não como a sociedade religiosa quer, por que se uma coisa não se torna comum como o assunto do relacionamento homossexual , automaticamente recuamos nossos sentimentos e deixamos de ser aquilo que somos por causa desses lideres religiosos que são preconceituosos, e querem moldar as pessoas de acordo com a vontade deles, mais é facil sabe porque eles querem isso? por que um casal heterossexual dentro de uma religião, obviamente quando tiverem um filho seguira a tendencia religiosa dos pais, fazendo assim a igreja ter mais membros e dinheiro LOGICO dinheiro, mais um membro significa mais dinheiro, mais um que vai dor dizimo, mais um que vai contribuir com a igreja, e de acordo com a Lei Constitucional n.º 1/2004 de 24 de Julho (Lei de expressão) e da lei de expres

Carlos Alberto de França Rebouças Junior: País atrasado é mesmo assim. Não é à toa que isso não vai pra frente e nossos políticos são os bandidos que são. O que esperar com uma população tão ignorante que cala-se diante de absurdos como a CENSURA? Antes eram os militares, agora são os evangélicos com seu radicalismo xiíta e prepotente, que nada tem de cristãos. Tá na hora de darmos um basta nesse atraso todo!

Alison: Parabéns aos produtores desse curta. Muito sensível. Uma verdadeira pérola. Acabei de assistir e estou com um nó na garganta. Estou na torcida que vire um longa. Tenham a certeza que será um grande sucesso, contrariando os hipócritas homofóbicos e àqueles que tem uma fé cega em um Deus que não existe, aquele Deus que se importa com a diferença de seus filhos. Quanto à proibição da exibíção desse curta no Acre, isso é uma grande lástima. Um beijo a todos e boa sorte!

Reinaldo: Um curta lindo, perfeito e muito bem feito. Esperarei o filme ancioso! Aos fundamentalistas religiosos desejo que Deus os perdoe, pela sua ignorância, preconceito e cárater. Quanto mais esses terroristas censuram, mais tornam a sociedade conciente de que vocês falharam quando não censuraram padres e pastores pedófilos. Muitas pessoas sofrem lavagens cerebrais por essas instituições religiosas, que sempre estão sedentas de dízimos, não pagam impostos ou tem moral pra dizer o que é certo ou errado pra uma sociedade num País laico.

Lukas: E onde fica o Acre?

antonio carlos: Eu simplesmente amei este curta, e só posso dizer que é uma pena os adolescentes perderem a oportunidade de ver como é difícil amar alguém do memso sexo. Só quem sente e Deus sabe como é difícil mas é e sempre será um amor verdadeiro, e não imposoto pela sociedade. Feliz de quem se permite ser o que é. Nada é mais importante que a nossa real felicidade, e Deus quer e muito que seus filhos sejam felizes. Parabéns. Infelizmente nos deparqamos com pessoas que se acham o próprio Deus.

Alexandre Campos: Que bem feito. Linda a história. E o ponto da homossexualidade foi tratada de uma forma muito natural, sem extremismos e delicada. O que mais chama a atenção é a amizade e a forma que o tratam por ser cego. O fato de ele se descobrir gostando do amigo é um mero detalhe. Lindo mas detalhe. Gostei muito e vou adorar assistir ao longa. Ao Estado do Acre meus pesares, estão perdendo uma aula de cidadania e aceitação.

paulo: Lindo demais,é realmente uma pena pessoas que se escondem atraz de religioes serem contrarias a esse tipo de assunto e terem a coragem de se manifestar . o minimo que deveriam fazer era enfiar o rabo entre as pernas como se costuma dizer popularmente .Como diria jesus aos doutores da lei hipócritas,verdadeiros sepulcros caiados.

Bella - Salvador: Ignorância é uma merda. E o curta, lindíssimo! =]

jeff Bonfim: Um amigo hétero me aconselhou a não colocar comentários com meu nome que ja se torna famoso no meio das artes plásticas. Ao meu ver a questão é justamente a visibilidade do que se é. O filme aqui retrata a inscência mais preciosa de todo um precisoso sentimento. Foi com muito brilhantismo que o autor e os atores conseguiram nos passar tão sensivelmente tão grande beleza e pureza do amor.

Raimundo: Legal, muito poético e de sensibilidade rara. Em relação ao debate sobre a sua exibição em escolas penso que deva ser criteriosa, independente do conteúdo das informações que possui. Deve-se pensar na clientela e na preparação do assunto antes de sua exibição. Sou educador e faço isso em relação a todos os temas transversais que trabalho em sala de aula. Temas polêmicos como drogas, sexo, política, religião enfim, não importa o assunto, pode causar desconforto se não for preparado de forma adequada. Parabenizo aos produtores pela ousadia e pelo esmero em tratar de assunto tão banalizado pela mídia. Show!!!

antonio alberto: gostei muito realmente é uma historia verdadeira. o problema do homossexualismo não vem de agora não. deste os tempo antigo ,desta da historia da biblia, onde conta quer cesar era homens de todas as mulheres e mulheres de todos os homem, acho quir esse precoceito tem quer acaba, pos as pessoas são cidadoes e reres humanos,e tem o direito de viver sua vidas ,desde quer não prejudique o proximo, os direitos são iguais para tds independente ,de poder aquisitivo , raça , cor e religiao, onde temos mais homessealismo são na relião catolica, onde os padre procura os coventos para assumir la dentro seu lado gay , onde não poder assumir para sociedade, ai correm para o converto para fazer aquilo quer tem vondade e assim tem muitos. assim conhecos muitos onde final de semana vai para balada e sai com os garotos para ter relaçao sexual aos domingo esta pregando amissa la no alta. Temos quir acaba com isso , com essa irpocrisia. pois toda familia tem um homosexual .

Anterior  1 2 3  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Jockstrap Sport - Branca

 

Preço: R$ 69,90
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Topher - Preta

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Colby

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Wild Preta

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo