Conheça Abricó, a primeira praia de nudismo do Rio de Janeiro
Por Victor Barroco*/ Foto: Pedro Ribeiro/ Divulgação em 02/01/2010 às 23h25

PARAÍSO NATURAL

Se o Jardim do Éden fosse no Rio de Janeiro, com certeza, este local seria Abricó - praia com ar de quase deserta, localizada a 50km do centro da cidade e paraíso dos filhos de Adão e Eva, literalmente.

Desdenhado por alguns e freqüentado por muitos, o local - que vive cheio nos fins de semana - é ótimo até para quem não gosta de andar "peladão". Apesar dos preconceitos e mitos, o naturismo - trocadilhos à parte - é muito mais natural e normal do que parece. A prática surgiu no início do século XX, na Europa. No Brasil, especula-se que seja bem mais antiga e tenha começado com índios antes mesmo do descobrimento.

Histórico
Mesmo freqüentada por naturistas desde a década de 60, a praia de Abricó só foi liberada oficialmente para a prática de nudismo em 30 de novembro de 1994, após uma liminar concedida na justiça. Uma semana depois, no entanto, o naturismo voltou a ser proibido. "Entraram com uma ação alegando que as pessoas tinham o direito de não encontrar ninguém nu, por mais distante que fosse a praia. Abricó ficou famosa por causa do nudismo. Da noite para o dia, todo mundo resolveu dizer que freqüentava a praia há anos", diz Pedro Ribeiro, 50 anos, presidente da Associação Naturista de Abricó (ANA).

Depois de um vai-e-vem intenso de proibições e liberações, em 2005, o Superior Tribunal de Justiça oficializou o naturismo na praia. A prática vem sendo mantida, desde então, graças à associação e seus 400 filiados. Segundo Pedro, o objetivo maior é "integrar as pessoas" e "fazer valer as condutas éticas da filosofia do naturismo".

O perfil dos freqüentadores
A idade média de quem freqüenta Abricó varia entre 30 e 50 anos. Há de tudo: casais, crianças, famílias, grupos de amigos. "Abricó é diferente, porque aqui é permitida a entrada de pessoas desacompanhadas. Em outras praias, só se pode entrar com uma companhia feminina para haver equilíbrio de sexos. Como é grande a quantidade de homens, isso acaba atraindo muitos gays", revela Pedro que diz já ter visto, inclusive, travestis por lá. O nudismo é obrigatório somente nos finais de semana, quando os naturistas lotam a praia.

Nos outros dias, qualquer envergonhado de sunga ou biquíni pode entrar. "Estipulamos isso porque recebemos visitas de gente que só vem olhar quem está nu e, às vezes, tem um comportamento não muito agradável. É uma curiosidade que não é saudável", critica Pedro.

Para reunir as pessoas, são promovidos diversos tipos de confraternização no local, como festas para aniversariantes do mês, campeonatos de vôlei e gincanas ecológicas. O motorista Erasmo**, de 51 anos, freqüenta a praia muito antes de sua legalização, há mais de 15 anos. O que mais o motiva é a sensação de liberdade. "Somos uma família, todos se conhecem. Aqui a gente deixa os pertences tranqüilamente sozinhos. Também não tem disputa pelo espaço na areia", afirma.

Já o mineiro Roberto Carlos, 25 anos, freqüentador há apenas seis meses, confessa que a motivação veio pela curiosidade. "Eu queria saber se era legal, se teria coragem de ficar nu. A primeira vez foi complicada, mas hoje me sinto como se estivesse numa praia normal", diz.

Wanderléia, 43 anos, é uma das pioneiras em ter uma barraca de alimentos na praia. Ela trabalha com o marido há 4 anos no local. "As pessoas aqui têm outro comportamento, são mais civilizadas. Eu não tenho aborrecimentos, todos são amigos", relata Wanderléia, que se gaba do alto rendimento e também organiza eventos na praia. A barraca vende biscoitos, refrigerantes, vários tipos de cerveja, além de sanduíches e cachorro-quente a um preço médio de R$2,50. Outro assíduo freqüentador, o representante comercial Raul, 39 anos, diz que a maior vantagem é a privacidade. "Aqui é ótimo, o público é mais restrito e não tem aglomeração".

No Rio há dois anos, o paraense Ronnie, 35 anos, revela porque prefere freqüentar Abricó e não a Farme de Amoedo, onde mora, em Ipanema. "Eu não sou uma pessoa de corpo fenomenal para ficar mostrando. Então, eu venho pra cá. Não tenho massa muscular, só cérebro", brinca o publicitário.

Regras Naturistas
"As regras de uma praia de naturismo são, em geral, iguais as das outras", esclarece Pedro. Segundo ele, a única diferença é em relação ao uso de máquinas fotográficas. Há pouco tempo, a atriz Natália Rodrigues foi fotografada com o namorado no local. Felizmente, com muito bom humor, apesar de chateada, ela soube tirar de letra a situação. "Quando vi as fotos, comecei a rir. Sou eu lá peladona", disse a um site de fofocas.

Outra regra é não ter comportamentos abusivos em relação ao sexo. "Você pode até paquerar, mas sem abuso. O gay costuma mexer com o pau para indicar que quer pegar, mas isto não é permitido. O ambiente é muito mais sadio, porque as pessoas estão nuas e já sabem como é o corpo da outra, não tem aquela má intenção de quando se está vestido", explica Pedro. Apesar disso, há um local específico e não oficial onde os gays mais assanhados - e não adeptos ao naturismo, que fique bem claro - definiram para um "fervo". Ele fica fora da faixa de areia, atrás das pedras, na encosta bem no fim da praia. "Quem for pego pela associação é convidado a se retirar. Aquilo (as pedras) é um shopping, né? O povo vai para se divertir", brinca um dos freqüentadores que jura nunca ter feito pegação por lá.

Incidentes
Pedro Ribeiro conta que a praia já teve diversos incidentes, mas o pior momento foi logo no início, assim que a prática havia sido liberada, em 94. "A freqüência era mista e não tinha nenhuma placa orientando que seria uma praia de nudismo. Tudo aconteceu de uma hora para outra. No segundo dia de liberação, uma mulher começou a me xingar e um cara que estava perto dela tomou as dores. Ele veio para cima de mim com um espeto de churrasco e enfiou na minha perna. Houve uma confusão generalizada que só terminou com a chegada da polícia", conta Pedro.

"Já tivemos outros [incidentes] menores. As coisas foram melhorando com o tempo, mas acalmou mesmo quando colocamos a divisão entre obrigatório e não-obrigatório nos finais de semana", explica.

Recomendação para Iniciantes
Entre os anos de 2003 e 2006, a praia teve uma área de adaptação, mas que não deu certo porque as pessoas acabavam ficando envergonhadas de tirar a roupa. "Ela perdeu a função, porque foi invadida por curiosos. A pessoa que vai tirar a roupa pela primeira vez não pode ficar perto de quem está vestido, ela tem que passar logo para o nosso lado", afirma Pedro. Por isso mesmo, ele ressalta que a pessoa já deve vir com o espírito pronto para tirar a roupa. "Não dói e a vergonha, geralmente, demora cinco minutos para passar, porque o ambiente é muito natural." Fato comprovado pelo repórter, que, pela primeira vez, teve de fazer uma matéria nu.

** Nome fictício com o objetivo de preservar identidade dos entrevistados

Como chegar
O local é cercado por montanhas e fica afastado da cidade. Quem for de ônibus pela Zona Sul deve pegar as linhas 175 na orla (Barra da Tijuca ou Recreio), S-20 (Recreio) ou 382 (Piabas). Desça no Barra Shopping e pegue a linha 703 (Recreio) até o condomínio Maramar, na praia da Macumba. De lá até Abricó, você terá que andar 3km a pé pela Avenida Estado da Guanabara - uma estrada que contorna o morro, à beira-mar. Passe pela Prainha, continue na estrada, suba e quando descer novamente, olhe em direção ao mar. Desça para a praia. Abricó fica atrás de umas enormes pedras à esquerda. Há também o Surf Bus, no Largo do Machado, às 7h, 10h, 13h e 16h. Pode-se ainda pegar um táxi em frente ao Shopping Recreio, fica em torno de R$ 14,00. Não há linhas de vans regulares e, para piorar

Link 

ÁLBUM DE FOTOS


COMENTÁRIOS
Nome  
E-mail  
Comentário  
Autorizo a publicação do meu comentário no site.
Incluir meu e-mail no mailling do A capa


weverton malhaes stelet - tenho vontade de neste paraiso sereia um prazer

weverton malhaes stelet - tenho vontade de neste paraiso sereia um prazer

cleiton misael mello morgado - Fui e gostei muito fui muito bem recebido fiz amizade com muita facilidade nunca fui tão bem recebido pretendo volta la e recomendo ambiente familiar

vanderlei - Adoro esse tal de nudismo mas nunca fui não por vergonha por onde eu moro não tem.Então vou ficar na espera de um dia poder frequentar e a todos que já frequentam parabéns e viva o nudismo.

? - eu estou louco conheçer a praia abrico , mas fica mt longe ! d+ .. mas eu nao sei como chegar na praia .. eu fico mt curioso d+.. mas eu nao conheço ninguém !.. vlw.. galera ..mt prazer !

luiz carlos giestal - gostaria de saber o que faço pra frequentar o naturismo,quem devo procurar se tem que me filiar,espero resposta,grato.

Carlos Souza - Frequento praia de Naturismo já faz alguns anos, mais sempre a praia da galheta e pinhos (Santa Catarina) gostaria de conhecer abricó, apesar de achar dificil acesso.

Anderson - Gostaria muito de conhecer a praia algum dia, gostaria de saber quais os melhores ou melhor dia ? Compania para ida a prais é bem sempre aceita, pois nunca fui !!!

Agenor - Nunca fui a uma praia de NUDISMO, tenho muita vontade de conhecer, porém não tenho com quem ir, se alguém do site se interessar em ir, fale comigo. Sou iniciante...

robert souza - sempre quis está em ABRICÓ,quero ir mais rápido possível, mas não sei bem como chegar, e gostaria derrepente de compania p ir.

Allex - Sou naturista desde 1990 e curto muito a praia olho de boi e abrico ,não sou filiado a ANA,mas acho super interessante uma associaçãonaturista deste porte no Rio de Janeiro. Curto muito o sexo ao ar livre e gostaria de saber como fazer para driblar os tais seguranças da praia ,que ao meu ver so atrapalham, concordo que a filosofia naturista nada tem a ver com sexo ,muito pelo contrário chega a ser algo até esotérico, no entanto quem acho que todos que desejarem fazer sexo deveriam faze-lo e sem que os seguranças se intrometam. O ambiente da praia é excelente para o sexo ao ar livre o que faz bem a alma e ao corpo, eu e minha namorada gostamos muito de fazer sexo ao ar livre e adoramos tirar fotos e os seguranças ja nos importunaram umas 4 ou mais vezes. Sou tambem adepto do Hedonismo o qual acho muito mais interessante que o naturismo pois neste temos nosso livre arbitrio respeitado. Fica a dica para a montagem de grupos hedonistas e até praias hedonistas no Rio de Janeiro ,pois a ú

VANNESSA - EU GOSTARIA MUITO DE CONHER ESTE LUGAR, EMBORA EU TENHA MEDO DE MORRER AFOGADA. ME DISSERAM Q A PRAIA E CALMA,SEXO AO AR LIVRE E MUITO BOM MAIS COM CONCIENCIA ADORO SEXO AO AR LIVRE MORO EM SITIO E SUPER TRANQUILO.

Eduardo - vou sempre em Abricó e a subidinha nas pedra é de Lei, lá se pratica o sexo naturista que é super relaxante.

Alessandro - Achei muito bom a praia, muita mulher bonita, bem natural mesmo e pra quem nao tem problema de ficar pelados como eu.. esta recomendado! visitem ABRICÓ!!

JÚNIOR - FUI AO ABRICÓ E COMO JÁ ANDO NÚ EM CASA,NÃO TIVE O MENOR PROBLEMA EM TIRAR A ROUPA,COISA NORMAL,COISA DE NATURISTA DE VERDADE;

José Gadelha - Gostaria de conhecer está praia sou naturista em casa, com minha familia nunca tive preconceitos em andar nu, gosto muito da liberdade.

Walter salustiano silva - Quando estiver um concurço de tirar a roupa entre em contato comigo,sou naturista em casa,e clubes.

Dud@ - Adoro o naturismo e fiko feliz essa revista colocar essas informações nas capas...

alexandreprates - bom eu acho que cada um tem o direito de fazer o que quizer e ir onde quizer,ja que tem um lugar assim,as pessoas que num gosta disso deveria ao menos respeitar que gosta,vou fazer um esforço de nesse ano visitar esse local,alguém quer ir comigo????

Greg - Legal! Ficamos contentes ao saber desta praia. Adoramos a pratica do naturismo. Meu namorado e eu e alguns bons amigos a freqüentaremos certamente e esperamos encontrar gente bonita e que esta não se torne "farofa".

Icaro - Bom fui na Barra Seca ES, Achei os naturistas super preconceituosos. Vc precisa levar muitas mulheres pra entrar. Não são receptivos

marcos - adorei saber que o rio tem uma praia asim

frank bastos - parabens ao pedro e a todos que lutaram e lutam todos os finais de semana para manterem a praia segura, agradavel e atraindo cada vez um maior numero de praticantes do naturalismo saudavel; pessoas bonitas, educadas e de bem com a vida.

marco mattos - adoro abrico. fica perto da minha casa e sempre que vou la conheco pessoas muito agradaveis. no primeiro final de semana de 2010 a praia estava otima e com muita gente bonita.

Pedro - Sempre que posso vou pra Abricó. Fui agora dia 3 de Janeiro e a praia estava ótima! Como sempre, lotada e várias pessoas bonitas. Moro em SP e sempre vou ao RIO, ...

Eduardo Velasquez - Depois que conheci a praia do Abricó, resolvi frequentar só esta praia, pois é única em todos os aspectos, naturalidade, segurança(absoluta nos fins de semana) e ausencia de preconceitos. Prezo a bela paisagem e a naturalidade dos frequentadores. Vale agradecer à Associação e ao Pedro Ribeiro que lutou bravamente para conseguir a liberação.

sergio - As pessoas tem mania de fazer polêmica de tudo. Se acha um absurdo, simplesmente não vá. Se as pessoas se respeitassem mais... e isso inclui principalmente não se meter na vida dos outros... não precisariamos de roupas nem aqui fora da praia. Eu vou tentar de tudo para ir, estou morrendo de vontade. E me lixando para a opinião alheia.

Sascha / Alemanha - Marcos, nao tem nada mais natural! E enquanto as "vaginas" ficam longe de mim, acho que é um local bem estimulante... PS: Acabem de dar referências bíblicas ("Adao e Eva"), pois vivemos no século XXI e como pessoas modernas e inteligentes, nao deveriamos participar da mesma propaganda absurda que é responsável pela oppressao de homossexuais em todo o mundo.

wagner - Realmente marcos, tudo tem limite, portanto não vá!

J.A.freitas - As informações de A Capa é demais, sou repórter e adoro ler os textos produzidos por esta equipe. Estão de parabéns, e um feliz 2010 para todos que fazem este portal.

Linda Emanuély - Olha a hipocresia, cade as fotos do povo peladinho? Ahhh não pode mostrar a cara - uééé mostra só o corpinho, de preferência os bem roludos que tão lá jogando volei com o bilau balangando pra todo lado DILICIAAAAAA... LINDA EMANUÉLY - SEMPRE LINDA EMANUÉLY!

marcos - Sem falso-moralismo, mas essas praias de nudismo me parecem saunas a céu aberto, onde as pessoas com a desculpa... desculpa do que mesmo? Bem, só uma mente muito deturpada achar que não tem maldade voce frequentar uma praia com aquele monte de penis, sacos, peitos, bundas, vaginas a mostra, balançando... isso pra dizer o minimo, porque e se um homem tiver uma ereção ali( o que as vezes é inevitavel). E a falta de higiene que uma situação dessa(um monte de orgãos genitais desnudos) representa? Ah gente, tudo tem limite né!

marcio - viagem para o rj