A Capa


No fetiche do fisting fucking o carinho é profundo

Por William Magalhães* em 05/07/2009 às 00h25

No fetiche do fisting fucking o carinho é profundo

Carinho profundo...

"É uma sensação maravilhosa,  sentir a mão e o braço mergulhados  num buraco quente, úmido e viscoso"

A primeira vista pode ser assustador, dolorido e gerar uma série de dúvidas. Passado o impacto e o susto, torna-se intrigante e até excitante. É impossível ficar indiferente ao fetiche, ou à idéia, do fist fucking, uma técnica que envolve a inserção da mão, punho e, algumas vezes, do braço, no ânus, reto e intestino. 

Ao contrário do que se imagina, o fisting fuck envolve paciência, sensibilidade e muito, mas muito cuidado. 

"É um momento de total sintonia entre os parceiros", diz André, 43 anos, dono do perfil "andrejr", no site do Disponivel.com. Adepto de uma pegada mais hard durante o sexo e um dos usuários mais ativos (em ambos os sentidos) do site, André está em 9º lugar no ranking geral de visitas e tem a terceira página mais visitada do estado do Rio de Janeiro. Sua página conta com 3.530 fotografias, além de 143 vídeos. 

Fister, o ativo na relação fisting, André pratica há pelo menos oito anos, quando fistou pela primeira vez um cara em uma termas de Ipanema. "Ele era muito experiente e foi um fisting radical. Quase coloquei o antebraço inteiro dentro dele. A partir daquele momento, fiquei fascinado pela prática", conta. 

Dogão, como é conhecido, diz que fez um levantamento e já fistou mais de 50 caras diferentes, sem falar nos parceiros constantes. "Fistando tive algumas das minhas experiências sexuais mais prazerosas", revela. "É uma sensação maravilhosa sentir a mão e o braço mergulhados num buraco quente, úmido e viscoso", descreve a sensação de ter os membros inseridos num ânus. 

Experiente, ele diz que quem controla o fisting é o fistee - o passivo. "Não é fácil agüentar a penetração de uma mão", reconhece André. "É preciso estar atento às reações do passivo e ter muita paciência até que se consiga a penetração inteira. Depois tem que se trabalhar com calma na dilatação e na profundidade", explica. Para ele, "o fisting requer uma sintonia e afinidade entre os parceiros ainda maior que numa relação sexual tradicional".

Sobre a penetração da mão, Flávio, 33 anos, dono do lendário perfil "queroserfistado" no Disponivel.com, diz que o que assusta na hora do fisting é a "expectativa da dor". "Você não tem uma noção exata do que acontecerá quando a mão estiver lá dentro. A passagem da mão pelo esfíncter é o momento dramático do ato... Mas depois que a parte mais larga da mão passa, é só alegria. É impossível descrever". 

CUIDADO E CALMA

Para praticar o fisting, é essencial ter muita calma e paciência. "Você não consegue fistar nem ser fistado às pressas ou à força. É preciso trabalhar com calma, ter cuidado com o passivo. Nem sempre se consegue concretizar o ato na primeira vez", adverte André, emendando uma dica. "É bom treinar alargamentos com plugs e consolos antes." 

Confiar no parceiro e estar relaxado também pode ser elementos para garantir um bom fisting. Flávio cita que uma vez estava com dois rapazes e eles queriam fistá-lo, um deles estava alterado, provavelmente por uso de entorpecentes, e isso o deixou travado. "A mão dele não entrou de jeito nenhum. Acho que por instinto de sobrevivência mesmo, o seu corpo não permite que você seja penetrado por um corpo estranho não confiável", explica. 

Já sobre os brinquedos sexuais como auxiliares da prática, Flávio tem a mesma opinião de André. "Dildos sempre ajudam muito. Ajudam a dilatar o esfíncter e, conseqüentemente, na hora da entrada da mão." No entanto, o médico Paulo Branco, proctologista e colunista de saúde da revista G Magazine, aconselha evitar objetos pontiagudos e afiados. Prefira os flexíveis, com pontas revestidas e anatômicas para que o esfíncter seja aberto gradativamente enquanto a penetração evolui. 

Se durante o sexo anal a lubrificação é recomendável, na hora de fistar ou ser fistado, ela é indispensável. "Gel é importantíssimo", diz Flávio. O lubrificante veterinário J-Lube e o CRISCO são os mais indicados para a prática. O J-Lube é um pó que, misturado à água, vira um líquido viscoso. É vendido livremente em sex-shops americanos e pode ser encontrado em sites internacionais como o <www.expectations.co.uk>. Já o CRISCO, é a gordura hidrogenada americana, clássico para os praticantes do fisting. 

O uso de luvas e a troca destas a cada penetração também é recomendável, embora nem sempre seguida pelos adeptos. O argumento é que sem luvas há menos atrito e a mão desliza melhor. Na relação, elas desempenham o mesmo papel da camisinha, de proteger contra DSTs que também podem ser transmitidas pelo fisting fuck.

DOR E PRECONCEITO

Durante toda essa matéria você já deve ter percebido que o fisting é uma técnica que requer muitos cuidados. A prática envolve alguns riscos, os mais freqüentes são sangramentos, dor e incontinência. "Como atendo o público G há 10 anos, já atendi pacientes com dificuldades para a prática, e pacientes com complicações da relação anal. É difícil quantificar, mas atendo toda semana", revela o Dr. Paulo Branco. 

É comum acontecer sangramento e, em geral, ele pára naturalmente. Especialistas orientam para que o ativo da relação avise quem está sendo fistado, para este decidir se a prática continua ou não, caso ocorra o sangramento. Se o sangramento persistir por muito tempo após o ato, é recomendável procurar um médico. As dores podem indicar danos aos esfíncteres, que podem ser tratados com relaxantes musculares, banhos quentes e até abstenção. Quanto a incontinência, existe a constatação de certa incidência, mas em casos isolados. 

Por ser uma prática ainda pouco difundida no Brasil, as reações que o fisting causa são bastante controversas. Flávio e André fazem coro ao dizer que a prática é vista com preconceito. "Acho patético as pessoas terem vergonha de admitirem até que são passivos. Cada um tem que se satisfazer do jeito que gosta", diz Flávio. Já André, conta que recebe mensagens de pessoas dizendo que não encarariam um fisting, mas acham a prática excitante.

Por falar em mensagens, ambos contam também que já receberam muitas mensagens negativas e depreciativas por conta das imagens em seus perfis. Quando Flávio postou seu primeiro vídeo de fisting, em 2006, recebeu muitas opiniões com o polegar virado para baixo. "Fiquei impressionado como as pessoas perdiam tempo ao escrever mensagens para me ofender." 

Admitir o gosto pela prática fora do espaço virtual, quando se conhece alguém, por exemplo, não é uma boa idéia, segundo os entrevistados. "Já perdi boas transas por falar demais antes de o ato começar. Aprendi a lição. Não cometo mais esse erro", afirma Flávio. 

Apesar do choque que causa, o fisting tem ganhado cada vez mais espaço na internet com a criação de blogs, fóruns, comunidades e perfis de adeptos. Para Flávio, isso é uma prova de que "a melhor forma de acabarmos com o preconceito é mostrando ao mundo que o que é diferente também é normal". 

Dr. Paulo Branco
www.medicinaintegrada.med.br
paulobranco@terra.com.br

* Matéria originalmente publicada na edição #15 da Revista A Capa - Agosto de 2008

Link

Comentários








EDSON: ADOREI A REPORTAGEM COM O ANDREJR EO FLAVIO ADORO OS ENTRA NO PERFIL DELES GOSTEI TBM POIS ME ESCLARECEU ALGUMAS DUVIDAS ! obrigado pessoal do DISPONIVEL vcs como smpre arrasando!!!!

ROGER: engraçado o tom sério da matéria... qndo todo mundo sabe q isso é putaria!

eric: Diversidade é isso aí. Inclui tudo que não experimentamos ainda. Tolerância is isso aí: respeitar os gostos e modos de que não somos adeptos, pelo menos até o momento. Ser "cabeça" só com o que curtimos é a pior das caretices, porque é dissimulada. Há um mundo imenso além dos seus horizontes e nele há inclusive um número cada vez maior de praticantes de fisting. É algo como aconteceu com a prática do sexo a 3 antigamente e hoje. Se pluga no mundo atual moçada gay!

Emerson Zocchi: Daqui a pouco vão querer colocar a cabeça no cu dentro do cu - será que vão usar equipamentos de mergulho? Enfia o cilindro logo meu!!!

Fernando Monteiro: O Fisting é uma prática sexual bem difundida na europa e EUAs, no Brasil poucas ousam se dizer adeptos dessa prática. O que não é mencionado na matéria é que o fistee, após muitas sessões de fisting fuck, seu ânus vai gradualmente se abrindo e laciando; o prazer da penetração por um pênis é praticamente nada. Tenho visto amigos aqui na europa que eram fistee`s e agora buscam cirurgias reparatórias na intenção de voltar a ter um prazer de um pênis. Outros viraram escravos de fantasias de fisters em sex-clubs. Um fato interessante: nos relacionamentos estáveis o fisting fuck quase não existe, mas no sexo causal, aqui, é uma constante com troca de parceiros praticamente todos os dias. Só mencionaram enfiar até o punho no ânus, mas já vi punhos, pês inteiros, dois braços, etc... Lógico, com muita droga para ajudar a relaxar.

Tally Domida: Ai, que delícia, posso fazer em casa? Vou tentar fazer em casa. Não, sério, claro que deve ser visto com normalidade. Nossa noção de normalidade é que tem de estar alargada, com duplo sentido ou não. Em tempo: no sexo anal convencional acho que o mais das vezes quem deve comandar é o passivo. Mas nao é regra, claro.

brotherzinhopoa: Adorei a matéria, eu mesmo vivo sondando o perfil do André porque acho Fist Fucking muito excitante, mas nunca fui muito além. Bela abordagem!

Rilton Notlir: Já dizia um velho amigo meu: "Gosto ñ se discute, lamenta-se." Neste caso, sobre o assunto em questão, jamais lamentaría. Cada um é livre de fazer o q quiser, sempre quando ñ prejudique os outros. Entretanto, continuo preferindo a vida sexual normal, sem este tipo de "fetiches". Prefiro um homem na cama usando o seu "aparato" em mim, e vice-versa, hehehe, pois ñ sou de ferro. Em transas com meus antigos casos, já admiti sim consoladores "normais no tamanho", porém nada mais q isso. E sempre com meus casos (relacionamento). Agora, uma mão, um braço, ou algo de um tamanho absurdo, aí não. Faz quem quer, quem gosta. Eu não. Porém como disse no começo, não tenho preconceito quem faz. Até me excita ver fotos, já vi vídeos e bato palmas para quem consegue. Sexo é sexo.

divino: Essa matéria "fisting" é um nojo, eca!

MARCELLO: Adoro fisting, sou ativo e fico maluco quando sinto meu pulso ser engolido por um buraco largo e macio.

Tony: Adorei essa matéria, mas eu não praticaria esse tipo de fetiche,não existe prazer melhor, que ser penetrado por um pênis longo, grosso e com veias. Mas mão e braço!! nem pensar.

Dr. Itaquera: acho normal o scat do que fist. que loucura! Alias, alguém da redação poderia fazer uma matéria sobre pessoas que curtem scat?

wilson ribeiro dos santos: PRA MIM ISSO É UMA AGRESSÃO AO SER HUMANO COMO TODO , PARA QUE MEU PARCEIRO ME SATISFAÇA E VICE-VERSA, NAO PRECISAMOS USAR, MAO, PUNHO OU QUALQUER TIPO DE COISA QUE ME AGRIDA, SENTIR PRAZER NAO ESTA RELACIONADO A DOR MAS SIM O PRAZER DE ESTAR COM ALGUEM QUE LHE FAÇA FELIZ SEM QUALQUER TIPO DE ARTIFICIO, EMBORA RESPEITO QUE USO OUTROS METODOS, MAS NA BOA NAO VAMOS NOS AGREDIR POR PURO PRAZER DOS OUTROS...

fernando: Engraçado o preconceito de nós memsos, alguns ainda entram, postam mensagens agressivas. Kct, somos todos livres, e devemos respeitar isso, cada um com seus gostos. Acho só muita hipocresia, algumas pessoas virem, postarem coisas mal educadas, bancando os perfeitos, os q nao fazem nada de errado, os "santos". E qd vamos ver, no fim da noite, são esses "santos", que tocam a putaria literalmente, sem pensar em nada, simplesmente gozar. Nunca fiz essa pratica, confesso q acho q de cera forma excitante. Tenho medo, do contrario, ja teria experimentado. Porem, como ja disseram, bato palmas pra quem consegue!!! Qm sabe um dia... :)

william sonnek: curto muito fistar os caras tambem. o flavio é o meu favorito. ja fistei alguns caras e todas as experiencias foram boas, com carinho e seguranca e muito tesao.

W#: Acho realmente que o fisting é uma forma de entrega bastante profunda, como todas que exigem a cumplicidade entre dois homens. No entanto, provavemente, com o usar e abusar contínuo do ânus, a coisa pode complicar...

LOIS CAMPO: ACABO DE LER TODO ESTE TEXTO E COM PERPLEXIDADE! ME PARECE ESTAR ESCRITO POR UM MEDICO !!! ME PARECE QUE TODAS AS OPÇOES SEXUAIS SAO LEGITIMAS DENTRO DE UM AMBITO MERAMENTE INDIVIDUAL POREM DIVULGAR E ACLAMAR A PRATICA FISTING COMO ALGO NORMAL (Normal?) ME PARECE UMA ABERRAÇAO DOS COMPORTAMENTOS HUMANOS UM ACUMULO DE INSATISFAÇAO EM TODOS OS NIVEIS Y COMO SEXO ESTA DE MODA ROMPER COM OS TABUES TUDO VALE!!! DEUS QUE MUNDO OBSCURO Y MISERAVEL DOS PRAZERES CARNAIS !!! AONDE IREMOS CHEGAR QUE HERANÇA DEICHAMOS AS NOVAS GERAÇOES "BLODRANEER" MUTANTES????? BICHOS RACIONAIS SERES RAROS?????

ricardotlpereira: bastante exitante, apesar de todas as minhas tentativas de dar foram frustradas, fico super exitado com a capacidade de alguns em poder sentir-se profundamente e deliciosamente invadido, blz.

LIBRIANO: NA BUSCA PELO PRAZER SEM AMOR O SER HUMANO ACABA PARTINDO PARA ATOS MAIS DETURPADOS E LIDIBINOSOS QUE AS MENTES DOENTES CONSEGUEM CRIAR. NAO ESTOU AQUI PARA APEDREJAR AS PESSOAS QUE SE SATISFAZEM COM ESTAS PRÁTICAS PORQUE SAO SERES LIVRES. MAS ACHO QUE TODO NOS DEVEMOS REVER NOSSOS CONCEITOS DE PRAZER, AMOR E RESPEITO AO PRÓXIMO E A NOS MESMOS. EVIDENTEMENTE QUE NEM SEMPRE FAZEMOS SEXO COM QUEM AMAMOS, MAS CREIO QUE O ATO PODERA SER FEITO COM AMOR E ISSO TRAZ FELICIDADES PARA AMBAS AS PARTES. TER UM BRAÇO DENTRO DO CORPO DE UMA PESSOA EM MINHA CONCEPÇÃO DE PRAZER NAO CONSIGO IMAGINAR COMO ISSO PODE SER PRAZEROSO E SE FOR PARA ALGUNS FICO A IMAGINAR OQUE COLOCARÃO DENTRO DO PARCEIRO APÓS ESTA EMOÇÃO PASSAR, OS PÉS, PERNAS?? QUE TODOS SOMOS LIVRES PARA VIVERMOS O QUE QUISERMOS, EU CONCORDO. MAS QUE PRECISAMOS NOS PERGUNTAR SEMPRE SE ISSO É LÍCITO E SE PARA O CRIADOR NOS ESTAMOS FAZENDO O CERTO EU TB ACHO QUE DEVERIAMOS REVER CONCEITOS E VALORES.

Diego: Nada contra quem pratica, mas eu acho isso tão sem graça... Não me interessa nem um pouco, nem acho interessante de se ver.

xanddy peladão: Eu pratico o fist há muitos anos . No início era muito difícil encontrar parceiros dispostos a fazê-lo ou que pelo menos sabiam do que se tratava. Minha primeira experiência concreta foi com um inglês que estava de férias no Brasil. Foi dolorido no início, mas como ele era muito experiente me deixou confiante e foi muito legal. Com o passar do tempo e os cuidados corretos a experiência é extremamente prazerosa, é o limite máximo do prazer que o sexo anal pode proporcionar a um homem.

Wagner: É Brutal e extremamente radical, chances de sobra de um passivo apresentar um câncer de próstata. Absurdo!

razec: acho normal, ja fistei dois caras e achei muito bom. Não acho nenhuma aberração! Aliás. aberração é o prtuguês do "Blodraneer"! qué isso minha gente???????

ROBERTO JR: Cara na real nem todos estao preparados para uma situacao dessa afinal deve tomar muitos cuidados -principalmente com a higiene ja que esta entrando em contato com uma area produnda do organismo - realmente tem que se ter bom senso

Thiago Moreiara: Eu que não quero ver meu cú arrombado, nossa acho apavorante ver uma mão abrindo o cú e vendo as tripas sendo esfoladas Aff da agunia, mais para os corajosos só tenho que Dar parabens pela paciencia, coragem daqueles que gostam e praticam

neguinho16: Mais isso e pouco estranho,nao acha...mais fdiz uma vez.a pessoa gostou e pediu mais,,,isso e gosto e ninguem pode ter preconceito com q acontece isso....

Alex: Uma dúvida... será que a pessoas que é fistada depois de certa prática ainda sente prazer com um simples pênis?

pablo: Epra mim é ver muitos gays se manifestando, dizendo que fist é uma aberração, uma agressão ao se rhumano. Muito estranho isso, pois deveriam se lembrar, que os homofóbicos tambem acham que ser gay é uma aberração e uma afronta ao que seria ser humano. Só porque alguem curte fist ou outra prática qualquer que não coaduna com nossos conceitos, devemos calar o bico, pois não entendemos nada do praser que outra pessoa sente ao praticar o que gosta. só porque é estranho para alguns, não quer dizer que seja abominável. abominável sim, é gays retrógrados, preconceituosos, mal amados que costumam julgar os outros, pois com certeza ainda não se encontraram na vida sexual praseirosa. Morrem de vontade de praticar certas coisas, mas com certeza, em seus interiores ainda não se aceitam e abominanm quem já se livrou de culpas e remorsos.

Borpy: Eu respeito às praticas deste método de conseguir prazer. Mas eu jamais faria isto com meu parceiro, mesmo assim sendo eu somente ativo, não gosto que meu companheiro sexual sinta dor algum. Para mim não seria prazeroso essa prática. Eu faço isso só em vacas porque sou inseminador artificial e não vou comparar meu parceiro passivo com uma vaca.

veronica backer: "Bom falar de preconceito e facil, agora vive-lo e dificil, porem o fist vem abrangindo não tão somente passivos declarados e sim homens heteros, qro dizer na sociedade, sou travesti, mais conheço muitos homens q curtem ser fistados e outra coisa nunca fui, mais gostaria de mim iniciar nessa pratica, bjuss a todos e parabens a revista trazer um assunto polemicos.

Anterior  1 2  Próxima 

Ofertas Atirados

 

 

Jockstrap Sport - Branca

 

Preço: R$ 69,90
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Topher - Preta

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Colby

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90

 

 

Jockstrap Wild Preta

 

Preço: R$ 69,00
PROMOÇÃO: R$ 49,90


É expressamente proibido a reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo do site A Capa sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.
A Capa na iTunes App Store A Capa no Android Market RSS Facebook Twitter SoundCloud
Cadastre-se no informativo